Programa de intercâmbio envolvendo alunos de Medicina da Faculdade de Ciências da Saúde de Barretos Dr. Paulo Prata - FACISB e Miller School

“Vivenciar uma outra realidade, seja ela dentro ou fora do país, é um presente. Ter uma visão de mundo ampla, a cada dia com mais experiências e histórias para contar é o que te aproximará daquele paciente que entrará em seu consultório na busca de um bom profissional”, declarou o Guilherme Grabin Granero, aluno do 10° período de Medicina da FACISB.

A Laura de Oliveira Rezende, aluna do 11° período, e o Guilherme Grabin Granero, aluno do 10° período, participaram do “Projeto Beatriz” aplicado no programa de intercâmbio em Miami, do dia 08 a 31 de julho de 2019.

Apoiado pela FACISB, o “Projeto Beatriz foi criado pela estudante de Medicina em Miami, Nicole Souza, cujo o objetivo foi envolver alunos de Medicina da Faculdade de Ciências da Saúde de Barretos Dr. Paulo Prata - FACISB e Miller School em um programa de intercâmbio, do modo em que eles pudessem ter a experiência de enxergar as diferentes realidades do sistema de saúde.

Foram 2 vagas disponibilizadas pela FACISB para alunos do internato, com critérios de avaliação do histórico escolar, assiduidade, pontualidade, pró-atividade, capacidade de trabalho em equipe, capacidade comunicacional, capacidade de respeito hierárquico, embasamento teórico, habilidade técnica e empatia e interesse em saúde pública.

A experiência de estágio foi realizada no Sylvester Comprehensive Cancer Center, atendendo nas clínicas de Oncologia e Hematologia do Dr. Gilberto Lopes e no departamento de Ginecologia e Obstetrícia do Jackson Memorial Hospital, Hospital Universitário de Atendimento e Ensino da Faculdade de Medicina Leonard M. Miller, da Universidade de Miami.

Entrevistamos Laura e Guilherme para sabermos sobre a experiência do programa de intercâmbio que realizaram.

Por que a oportunidade de intercâmbio foi de seu interesse?

Laura - Sempre tive vontade de fazer um intercâmbio, pois acredito que a oportunidade de conhecer uma realidade diferente da que vivemos é muito enriquecedora não só para o currículo, mas principalmente para a vida.

Guilherme - Acredito que a formação médica é construída a partir de alguns pilares, dentre eles, um dos mais importantes, as vivências que adquirimos ao longo do curso. Este intercâmbio foi uma grande oportunidade para vivenciar a Medicina a partir de uma nova perspectiva.

Na sua opinião, qual o impacto do "Projeto Beatriz" para o aluno?

Laura - O projeto sem dúvidas impactará a vida dos estudantes que fizerem parte do mesmo, pois sair dos nossos países e conhecer diferentes sistemas de saúde nos faz enxergar melhor as diferentes realidades.

Guilherme - O Projeto Beatriz foi um projeto pioneiro. Ele abriu portas para que os alunos da FACISB pudessem vivenciar a vida médica norte-americana através de uma forma inovadora e efetiva. Essa troca de aprendizado que pude ter ao longo dessa temporada em Miami contribuirá tanto em minha formação acadêmica, como profissional.

Qual foi a sua experiência mais "marcante" durante o intercâmbio em Miami?

Laura - Atendemos uma idosa de 94 anos, que nunca fumou, com câncer de pulmão. Ao invés de ficar triste e deprimida, ela se manteve firme e forte, foi para consulta toda arrumada e maquiada. Foi lindo de ver a vontade que ela tem de viver!

Guilherme - Hoje pretendo seguir na área da Ginecologia e Obstetrícia e poder vivenciar a realidade do departamento de OBGYN do Jackson Memorial Hospital foi engrandecedor. A forma como a equipe do Hospital me recebeu foi maravilhosa. A troca que pode existir nesses dias, sobre aprendizados e experiências foi enriquecedora.

Qual mensagem você deixaria para outros estudantes, que assim como você, tem interesse em fazer intercâmbio para ter contato com outras culturas e experiências da área médica? 

Laura - Não percam a oportunidade quando ela surgir! Vale muito a pena!

Guilherme - Acredito que hoje em dia há muitas formas de um estudante vivenciar um intercâmbio na área médica. Na FACISB, há dois Programas de Mobilidade, no segundo e quarto ano, em que o aluno pode aproveitar este período para vivenciar algo diferente ao decorrer de sua formação. A profissão que escolhemos traz, sem sombra de dúvidas, grandes oportunidades para lidarmos com o ser humano em suas infinitas possibilidades. Espero que a trajetória do estudante que esteja lendo esta entrevista, aonde quer que ele esteja, seja rica. Rica de experiências, aventuras e que o diferente o leve aonde ele sequer imaginou, no dia em que foi aprovado no vestibular. Aquela frase do Fernando Pessoa – “Tudo vale a pena se a alma não é pequena” – Pode resumir muito bem o que conversamos até agora.  

MAIS FOTOS

Receba nossas novidades em primeira mão